ARTISTAS RJ

voltar

Antônio Bragança

 


 
 

 

 

Fotografia – Flávia Correia

Antonio Pedro Bragança, pernambucano, nasceu em 13 de maio de 1904, negro, solteiro, foi internado na Colônia Juliano Moreira em 18 de outubro de 1949, onde veio a falecer em 21 de dezembro de 1967. Filho de família numerosa, jovem ainda veio tentar a vida no Rio. Sobreviveu de esmolas e biscates como marceneiro e pintor de paredes. Pintou temas religiosos e murais em restaurantes e bares. Se iniciou na pintura como autodidata. Viveu por período nas ruas dormindo em bancos de jardins e praças públicas. Durante cinco anos esteve recolhido no Abrigo Cristo Redentor. Saiu expulso após ter brigado com um guarda. Fez o percurso da exclusão: levado pela polícia para o Hospício da Praia Vermelha na Urca, dali para o Hospital Pedro II, no Engenho de Dentro e finalmente para a Colônia Juliano Moreira. Durante sua internação na Colônia Juliano Moreira pintou com regularidade, deixando um acervo significativo. Foi um dos representantes do Brasil em Paris , em 1952 , por ocasião do I Congresso Mundial de Psiquiatria, na coleção Heitor Péréz. Esta coleção foi exposta na Colônia no mesmo ano. Expôs na Mostra do Redescobrimento no Ibirapuera em São Paulo no decorrer do ano de 2000.

texto cedido pelo Museu Bospo do Rosario Arte Contemporânea